Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
12/12/18 às 18h07 - Atualizado em 13/12/18 às 11h12

VI Conferência Distrital de Direitos Humanos alerta a violação de direitos

COMPARTILHAR
A Conferência Distrital de Direitos Humanos do DF foi aberta nesta quarta-feira, (12/12), na Câmara Legislativa. Participaram, Lideranças de movimentos em defesa dos Direitos Humanos, representantes do judiciário e políticos. O ex ministro dos Direitos Humanos, Nilmário Miranda, a senadora Regina Sousa e a secretária Ilda Peliz da Sedestmidh que apoia o evento e, à quem está ligado o Conselho Distrital de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos, realizador do evento.
 
Michel Platiní, que preside o Conselho Distrital lamentou que de forma geral, os Direitos Humanos não são respeitados e a violação de direitos se sucede, seja nas comunidades LGBTS, Trans, entre as pessoas mais vulneráveis.
 
Na Conferência foram eleitos os novos representantes da sociedade civil, governo e entidades não governamentais (titulares e suplentes) , que em regime tripartite, vão compor o novo Conselho Distrital da área.
 
Durante esses dois dias, as comissões de trabalho vão tratar de assuntos como a ampliação de representantes da sociedade no enfrentamento às violências contra pessoas em situação de vulnerabilidade, educação em Direitos Humanos, Justiça e Segurança Pública, e avaliação do Orçamento voltado ao Desenvolvimento de Políticas Públicas.
 
A Senadora Regina Sousa, presidente da Comissão dos Direitos Humanos e que deixa o senado para assumir a vice governança do Piauí, criticou a aplicação da Declaração dos Direitos Humanos, ratificada há 70 anos. ‘É descumprida nas relações de trabalho, recentemente 206 empresas foram denunciadas, por trabalho escravo, pelo ministério do Trabalho. A maioria estava nas fazendas mas, há exploração a Bolivianos, Haitianos e Venezuelanos. Ninguém pode ser discriminado. O feminicidio ocorre todo dia e a toda hora. Entre os assassinatos de jovens, 77% são negros. Como dizer que estamos respeitando os Direitos Humanos, vamos levar a sério”, concluiu ela, depois de lembrar que, “quem matou e quem mandou matar Marielle’, ainda não se sabe.”Temos de continuar”, conclamou a todos na defesa das leis.
 
Ilda Peliz, secretária de Estado que sempre atuou nas áreas sociais em defesa das crianças com câncer- ela mesma enfrentou as dificuldades pela perda de uma filha com câncer – disse que se consegue realizar muito mais fora do que nas instituições governamentais Os controles, necessários, para evitar a corrupção levam à burocracia e a morosidade nas decisões”. E convocou a sociedade para que dê as mãos em defesa dos direitos humanos, que devem ser lembrados todos os dias”, concluiu Ilda no discurso de improviso.
 
O procurador do DF, Daniel Vargas de Siqueira, abriu o discurso dizendo que ” Direitos Humanos não são somente para homens direitos”, defendendo a não violação de direitos a todos que na condição de vulnerabilidade podem contar com o poder público na sua defesa.
 
Daniel Siqueira colocou à disposição da sociedade a Defensoria Pública que dispõe do acompanhamento, gratuito, de 226 Defensores. Eles também promovem ações de cidadania e de defesa dos direitos humanos e, com articulação do jurídico nos serviços de saúde, educação, assistência social e segurança pública.
 
A Conferência Distrital dos Direitos Humanos, segue até esta quinta-feira no Auditório da Câmara Legislativa Distrital.
Por, Cláudia Miani.