Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
15/06/15 às 12h20 - Atualizado em 29/10/18 às 11h44

Usuários dos Centros de Convivência assistem ao Balé Bolshoi

COMPARTILHAR

Crianças, adolescentes, idosos e educadores sociais compareceram ao Ginásio Nilson Nelson para apresentação exclusiva

Brasília (12/6/2015) – Na manhã da última sexta-feira (12), aproximadamente cinco mil pessoas se reuniram no Ginásio Nilson Nelson para assistir ao espetáculo de balé “Don Quixote”, da Escola do Teatro Bolshoi no Brasil. Entre elas, usuários dos Centros de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (Cose), alunos das escolas públicas do DF e pacientes da Rede de Hospitais Sarah Kubitschek.

Foto: Wellington Reis – Ascom/Sedhs
Bolshoi3

A apresentação de sexta é uma contrapartida social do Bolshoi e visa estimular o gosto pelas artes e o hábito de frequentar o teatro. Segundo a direção da Escola, a intenção é contribuir para o desenvolvimento do cidadão e a inclusão deste nos meios culturais.

A “Grande Suíte do Ballet Don Quixote” conta a história de amor entre Kitri e o pobre barbeiro Basílio. Com a ajuda de Don Quixote, um nobre cavalheiro, e seu fiel escudeiro, Sancho Panza, os apaixonados Kitri e Basílio enfrentam o pai da moça, e enganam o rico Gamach – com quem seu pai queria que ela se casasse – e se casam numa grande festa em Barcelona. Tudo ao som de uma música vibrante e coreografias marcadas por danças espanholas.

Foto: Wellington Reis – Ascom/Sedhs
Bolshoi8

Cristiane Moreira, chefe do Cose de Santa Maria, achou interessante o fato das crianças entenderem bem toda a história do amor proibido, contada por meio da dança, mesmo que nunca tenham ido a um espetáculo antes. Isto porque estavam muito concentrados. “Eles saíram maravilhados! Foi uma experiência rica e inesquecível”, acrescentou.

Foto: Wellington Reis – Ascom/Sedhs
Bolshoi5

A cada ato, a plateia aplaudia empolgada. Olhos atentos em cada movimento no palco e sorrisos nos rostinhos de quem, talvez, tenha visto uma companhia de balé pela primeira vez. O resultado não poderia ser outro, ao final do espetáculo, aplausos de pé para o corpo de baile que, agradecia, encantado, a receptividade dos brasilienses.

Foto: Wellington Reis – Ascom/Sedhs
Bolshoi9