Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
5/08/19 às 16h42 - Atualizado em 28/08/19 às 12h25

Uma medalha que nasceu no “Cose”

COMPARTILHAR

Bronze no Pan-Americano de Lima, no Peru, Kawan Figueiredo destaca e agradece a grande influência da equipe do Centro de Convivência e Fortalecimento de Vínculos do Gama Leste para seu início nos saltos ornamentais

 

Kawan e Isaac garantiram medalha inédita para o Brasil. Foto: Abelardo Mendes Jr/rededoesporte

“Eu gostava mesmo era de jogar bola e, a cada gol, eu dava um mortal para comemorar. Uma vez, ele disse que eu deveria fazer saltos ornamentais. Nem levei tanto a sério”, disse Kawan Figueiredo, de 17 anos, medalha de bronze nos Jogos Pan-Americanos de Lima (Peru), na semana passada, ao lado de Isaac Souza, de 20.

 

Quando disse “ele”, o dono da inédita medalha para o Brasil se referia ao Educador Social Laércio Nicolau. A dupla foi a responsável por descobrir o talento do jovem prodígio. “Entre 2009 e 2010, o Centro Olímpico e Paralímpico do Gama estava com inscrições abertas para uma seletiva de saltos ornamentais. Achamos que Kawan tinha potencial”, relembra Laércio, que acompanhou pessoalmente o garoto ao local no dia da escolha dos atletas.

 

De acordo com o servidor, há 10 anos na Secretaria de Desenvolvimento Social (SEDES), é fundamental buscar parcerias capazes de fortalecerem o trabalho das unidades. Para ele, além de proporcionar vivências diferenciadas aos participantes do serviço, pode desenvolver, descobrir ou ressaltar potencialidades que, muitas vezes, nem ele mesmo sabia que tinha.

 

Kawan frequentou durante cinco anos as atividades do Centro de Convivência e Fortalecimento de Vínculos do Gama Leste, na época, ainda chamado de Cose Gama Leste. “Lembro o dia em que o pessoal do Cose perguntou se eu queria fazer a seletiva”, conta o jovem. “Quando fui aprovado, queria que esporte desse um futuro melhor para a minha vida. E hoje, olha onde eu cheguei”, completa o medalhista.

 

Conquista inédita

O bronze de Kawan e Isaac é inédito para o país. Foi a primeira vez que uma dupla nacional ficou entre as três melhores no Pan em todos os tempos. Ao fim de seis saltos, os brasileiros somaram 375,81 pontos. O ouro ficou com o México (431,10) e a prata foi do Canadá (396,12).

 

Foto: Abelardo Mendes Jr/rededoesporte

Atualmente, Kawan treina no Centro de Excelência da Universidade de Brasília (UnB). A dupla já havia alcançado um feito inédito no Mundial de Esportes Aquáticos, na Coreia, há dez dias, ao chegarem em uma final pela primeira vez e terminarem em 12º.

 

Os dois são integrantes do Programa Bolsa Atleta, da Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania na categoria Internacional.

 

Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos

A Sedes executa o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos por meio de 17 Centros de Convivência, seis Centros de Referência de Assistência Social (CRAS), além de diversos organizações da sociedade civil parceiras de execução indireta, totalizando cerca de 7 mil participantes inscritos.

 

O público frequentador é composto por crianças a partir de 6 anos, jovens, adultos e idosos, inseridos em atividades embasadas em estratégias voltadas para o fortalecimento de vínculos afetivos, conquista da autonomia, empoderamento do cidadão e convívio social.

 

Para se inscrever no serviço é preciso procurar o Cras de referência da região, onde é feito o devido encaminhamento.

 

Ádamo Araujo