Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
18/06/20 às 21h02 - Atualizado em 18/06/20 às 22h57

Todo o apoio em saúde para abrigados em unidades de acolhimento

COMPARTILHAR

Fruto de parceria entre as secretarias de Desenvolvimento Social e de Saúde; Fiocruz; e UnB, a ação começa na próxima semana com foco nos idosos

 

Representantes dos órgãos estiveram reunidos nesta quinta-feira para articular as ações | Foto: Ádamo Araujo

Equipes multidisciplinares em saúde vão atender pessoas em situação de rua abrigadas nas unidades de acolhimento do Governo do Distrito Federal (GDF). A atuação começa a partir da próxima semana na Unidade de Acolhimento para Idosos (Unai), em Taguatinga Norte, onde vivem 20 pessoas.

 

A estratégia de atendimento foi definida nesta quinta-feira (17), durante reunião que envolveu representantes da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), Secretaria de Saúde (SES) e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), na sede da fundação.

 

“Dentro dessa população, o público idoso, por compor o grupo de risco da Covid-19, vai ser o primeiro a receber o acompanhado”, explica a subsecretária de Assistência Social, Kariny Alves.

 

O atendimento vai envolver residentes de cursos ligados à saúde dessas instituições de ensino e pesquisa. Vindos de programas ligados à medicina residencial, à atenção à saúde e ao atendimento multiprofissional, são quase 80 estudantes das áreas de medicina, enfermagem, educação física, nutrição, fisioterapia, psicologia e assistência social.

 

“Não sabemos quanto tempo vai durar a pandemia. Então, precisamos consolidar e fortalecer as ações existentes e ampliar novas possibilidades de atendimento a esse público”, enfatiza a diretora da Fiocruz Brasília, Maria Fabiana Damásio Passos.

 

Antes de iniciarem às atividades nas unidades, eles estão participando de formação ligada ao atendimento voltado para a população de rua, no qual também aborda-se a Política de Assistência Social.

 

Nas próximas semanas o trabalho vai ser expandido para outros abrigos de pessoas em situação de rua, entre os 12 que o GDF gere, seja de execução direta ou indireta. Outro passo a ser dado é ampliar a rede de parceiros, principalmente da sociedade civil.

 

Como parte da parceria da Sedes com a Fiocruz está prevista uma capacitação para os trabalhadores do Suas sobre biossegurança, com o foco em ações de prevenção. O curso acontecerá no formato a distância, com o acompanhamento posterior desses trabalhadores.

 

Segurança alimentar

Também foi iniciada parceria entre a Subsecretaria de Segurança Alimentar e Nutricional (Subsan) e o Programa de Alimentação Nutrição e Cultura (Palim) da Fiocruz para o apoio técnico na construção de Plano de Ação de Segurança Alimentar e Nutricional para Pessoas em Situação de Rua, abordando medidos emergenciais e planejamento para os impactos posteriores da pandemia. O Palim é responsável pela coordenação do Observatório Brasileiro de Hábitos Alimentares (OBHA).

 

A Fiocruz é vinculada ao Ministério da Saúde e é uma das mais destacadas instituições de ciência e tecnologia em saúde da América Latina. Seu objetivo é promover a saúde e o desenvolvimento social, gerar e difundir conhecimento científico e tecnológico, e ser um agente da cidadania. A Fiocruz Brasília foi criada em 1976 e fica localizada no campus da UnB.

 

Ádamo Araujo