Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
16/05/17 às 20h21 - Atualizado em 29/10/18 às 12h07

Seminário Cuidando da Vida vai até dia 27

COMPARTILHAR

Termina no dia 27 de maio, o seminário de capacitação sobre o programa Cuidando da Vida, recém-lançado pela Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos (Sedestmidh), por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social, em parceria com o Decanato de Extensão UnB, CRRAD/ESCS, Associação Cultural Namastê e Revista Traços, voltado para os usuários de álcool e outras droga em situação de rua no Setor Comercial Sul.

O seminário começou na segunda-feira, dia 15, no Auditório da Superintendência Regional do Trabalho, com as presenças de Gutemberg Gomes (secretário da Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos); Marlene Azevedo (secretária adjunta de Desenvolvimento Social); Andrea Raimunda (representante da comunidade); Arilda Sabbas Pucu (CRRAD / ESCS); Maria Lima (professora da UnB); Márcia Totugui (Senad); Alexandre Reis (psicólogo do Centro POP da 903 Sul); Luciana Vitor (Associação Cultural Namastê) e equipes do projeto Cuidando da Vida e do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos para Adultos, colaboradores da Revista Traços, atores da Rede de Tratamento Comunitário e servidores da Secretaria.

O curso terá cinco módulos: refletindo sobre o cuidar; refletindo sobre o trabalho; refletindo sobre a cultura e o esporte; refletindo sobre o morar; comunidade que integra.

Maria Raimunda abriu o evento com a antiga canção “Se esta rua fosse minha” e defendeu convivência pacífica nas ruas, sem violência e sem agressões ao povo de rua. Marlene Azevedo elogiou a Associação Namastê pela parceria e disse que os direitos desse público está na lei e que ela precisa ser cumprida por meio de um programa como este, de Estado. “O Estado faz parceria, mas não se afasta”, disse.

Para o secretário Gutemberg Gomes, a Secretaria enfrenta desafios imensos para aplicar recursos nos setores mais vulneráveis da sociedade, para mostrar que isso é investimento, não custo. No entanto, ressalta, estamos ousando e vencendo a burocracia e realizando políticas para quem mais precisa.