Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
26/03/18 às 14h50 - Atualizado em 29/10/18 às 12h07

Sedestmidh participa de ação comunitária

COMPARTILHAR

 

Na manhã de sábado (24), mulheres da Colônia Agrícola 26 de Setembro receberam atendimento da Rede Social de Taguatinga, Águas Claras e Vicente Pires (Rede TAV), ao som da banda “Vozes da Rua”, formada por usuários do Centro Especializado para População em Situação de Rua (Centro Pop) Taguatinga.

 

Cerca de trezentas famílias foram prestigiar o som e receber informações e atendimento de diversos serviços da Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos (Sedestmidh), que faz parte da Rede TAV.

 

A Agência do Trabalhador, Unidade de Acolhimento à Mulher (Casa Flor), Centro de Atendimento Especializado de Atendimento à Mulher (CEAM), Ônibus da Mulher, Centro Pop, Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) são as unidades da pasta que estavam presentes e realizaram atendimento à população junto com o MPDFT, Núcleo de Práticas Jurídicas da Universidade Católica e o PAV Azaleia – Programa de Pesquisa, Assistência e Vigilância à Violência.

 

O Centro de Referência de Assistência Social (Cras) atendeu 30 mulheres, sendo que 20 foram referentes ao Cadastro Único, cartão que dá acesso aos benefícios assistenciais do governo, e 10 atendimentos foram relacionados à Cesta Emergencial, Auxílio Natalidade e Excepcional.

 

A Unidade Móvel para Mulheres do Campo e do Cerrado (Ônibus da Mulher) ofereceu os serviços do CEAM, com atendimento psicológico, social, jurídico e orientação e assistência em geral. O veículo é equipado com duas salas de atendimento, toldo, 50 cadeiras, copa e banheiro adaptado para a acessibilidade de pessoas com deficiência.

 

Paralelamente aos serviços, foram realizadas atividades lúdicas e educativas, de sensibilização e conscientização às mulheres presentes sobre a Lei Maria da Penha, o que é violência sexual, moral e física e concedeu informações sobre a Rede de Proteção à Mulher.

 

O Ministério Público do Distrito Federal (MPDFT) ofereceu serviços de Ouvidoria, pelos quais a população pôde enviar reclamações, críticas, sugestões, denúncias e elogios.

 

Enquanto as mães eram atendidas, as crianças brincavam na brinquedoteca e liam os livros disponibilizados pela Mala do Livro, projeto da Secretaria de Cultura que leva uma biblioteca móvel às comunidades carentes.

 

                                       

 

Colônia Agrícola 26 de Setembro

De acordo com a Terracap, a Colônia Agrícola 26 de Setembro ocupa uma área de 997 hectares, com população estimada de 10 mil habitantes. Parte da comunidade é desprovida de boas condições socioeconômicas e não conta com serviços públicos ou comunitários de saúde, educação, acesso à Justiça e assistência social. Para acessar as políticas públicas, os moradores precisam se deslocar até Taguatinga ou Vicente Pires, porém há pouca oferta de transporte público, o que dificulta a efetividade e o acesso aos serviços da rede de atendimento.

 

 

Por: Camila Piacesi