Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
11/12/12 às 21h08 - Atualizado em 29/10/18 às 11h42

Sedest celebra Dia Internacional dos Direitos Humanos

COMPARTILHAR

SED 5261

Foi realizada nesta segunda – feira (10) no Centro Especializado para População em Situação de Rua de Brasília (Centro Pop), ação em comemoração ao Dia Internacional dos Direitos Humanos. A atividade contou com a participação de Ingrid Quintão, da Defensoria Pública do Distrito Federal, de Nádia Araújo, do Centro de Referência em Direitos Humanos do DF, de Amélia Cristina, da Escola de Meninos e Meninas do Parque, de Jacinto Mateus, do Observatório de Violência contra População de Rua, de Antônia Cardoso, Coordenadora do Movimento Nacional de População de Rua e de Daniel Seidel, Secretário de Desenvolvimento Social e Transferência de Renda, entre outros convidados. 

Daniel Seidel saudou os presentes e comemorou avanços em direção à garantia dos Direitos Humanos, entre eles a inauguração do Centro Pop, em julho deste ano. “O Centro é um marco na efetivação dos direitos da população em situação de rua, mas é necessário ampliar espaços como esse e a abordagem social”. Seidel falou diretamente para as pessoas atendidas pelo Centro Pop. “Vocês são cidadãs e cidadãos, possuem direitos, e o Estado precisa garantir espaços de cidadania. A luta pelos Direitos Humanos deve ser celebrada lutando cada vez mais, todos os dias”, finalizou.   

SED 5437

Para Ingrid Quintão, as pessoas em situação de rua precisam entender melhor o papel da Defensoria Pública. “A Defensoria está aqui para ajudar, para garantir direitos, não para punir como muitos ainda acreditam erroneamente”, Ingrid também falou sobre a parceria com a Sedest no projeto da Defensoria Itinerante e sobre a Cartilha para Pessoas em Situação de Rua. “Hoje é possível prestar atendimento nos locais onde a população de rua fica. A Defensoria também auxilia na questão da documentação. Essa cartilha divulga os seus Direitos, cobrem isso do Estado”, disse.

Jacinto Mateus, do Observatório de Violência contra População de Rua, reforçou a necessidade de políticas públicas inclusivas e garantidoras de direitos. “Ninguém está na rua porque quer, isso é resultado da falta de oportunidades e do processo de exclusão. A população de rua precisa é de políticas públicas eficientes na área de habitação, trabalho, educação e saúde”.

SED 5548

A atividade teve início com apresentação de voz e violão de Davi Silva dos Santos, educando do Centro Especializado para População de Rua. No repertório, rock nacional, como Capital Inicial e Legião Urbana, entre outros artistas.

SED 5373

Na ocasião, também foi dado início as atividades educativas do Projeto “Cidadania Tem Endereço” na Unidade. O Projeto elaborado pela Sedest em parceria com a Secretaria de Segurança Pública e administração Regional de Brasília, tem como objetivo orientar a população do Distrito Federal para que realize doações de maneira consciente, direcionada aos órgãos arrecadadores, que centralizarão a distribuição no Centro Pop Brasília.