Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
5/09/19 às 18h42 - Atualizado em 16/09/19 às 15h02

Secretaria de Desenvolvimento Social promove capacitação de catadores de material reciclável

COMPARTILHAR

O curso é uma das condicionalidades para que esses trabalhadores façam jus a uma bolsa mensal de R$ 300

 

 

Foto: Divulgação

A Unidade de Benefícios Socioassistencias da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) promoveu capacitação para cerca de 530 catadores de materiais recicláveis. Realizado no Instituto Federal de Brasília (IFB) da Cidade do Automóvel, nessa quarta e quinta-feira (4 e 5), o curso abordou o primeiro de dois módulos do tema Educação Financeira.

 

O próximo e último módulo ocorre no fim deste mês e a formatura está programada para a segunda quinzena de outubro. Os participantes integram um total de 700 catadores de material reciclável selecionado pelo Edital de Chamamento nº 005/2018 (Agentes da Cidadania Ambiental). De acordo com o texto do documento, para estar apto a participar do programa e a ter direito a uma bolsa de R$ 300 mensais durante um ano precisavam estar inscrito em cursos profissionalizantes ou capacitações.

 

Antes desse módulo, porém, esses catadores já participavam desde o ano passado, de cursos promovidos pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial do Distrito Federal (Senai-DF), IFB, Sedes, Secretaria do Meio Ambiente (Sema), Serviço de Limpeza Urbana (SLU) e Casa Civil, a capacitação tem como objetivo aperfeiçoar a atuação desses trabalhadores.

 

Foto: Divulgação

Cento e quarenta deles frequentaram, todas as quartas-feiras, às aulas da capacitação realizadas no Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), na Estrutural. Na unidade foram abordadas temáticas como saúde coletiva, cuidados no tratamento de resíduos sólidos e cooperativismo, entre outros.

 

É importante destacar que não basta o cidadão ter sido selecionado, tem que ter participado de, pelo menos, 70% das aulas. Para ter direito ao benefício, o catador precisou comprovar como fonte de renda principal a triagem dos resíduos retirados do aterro do Jóquei.

 

Como exigência, também foi necessário que ele estivesse inscrito no Cadastro Único para programas sociais do governo federal (CadÚnico) e ter renda familiar mensal per capta de até dois salários mínimos.

 

Ádamo Araujo