Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
30/08/16 às 17h21 - Atualizado em 29/10/18 às 12h07

Registro do acompanhamento de saúde do PBF aumenta no DF

COMPARTILHAR

O registro Taxa de Acompanhamento da Agenda de Saúde (TAAS) do Programa Bolsa Família (PBF) teve aumento de quase seis por cento no primeiro semestre de 2016, no Distrito Federal. Além do DF, apenas São Paulo, Acre e Tocantins registraram aumento da TAAS no período. “O índice é histórico para o DF. Essa elevação significa o acompanhamento de mais de 33 mil famílias, quase seis mil a mais que no semestre passado. Isso demonstra que as estratégias e o trabalho articulado entre a Sedestmidh e as secretarias de Saúde e Educação estão apresentando resultados positivos para a população”, afirmou a secretaria adjunta de Desenvolvimento Social, Marlene Azevedo. “Mas ainda temos muito a avançar nos próximos semestres”, completou ela.

A TAAS é uma das taxas do acompanhamento do compromisso firmado entre o governo e as famílias beneficiárias do PBF. O objetivo na área de Saúde é focado em crianças de zero a seis anos de idade e em gestantes e nutrizes. As crianças devem ser levadas aos postos de saúde para que seja verificado se o crescimento e o desenvolvimento estão adequados para a idade, e para que as doses de vacinas sejam ministradas. As gestantes devem realizar o pré-natal, e as mulheres em fase de amamentação, participar de campanhas, nos postos de saúde, sobre a importância do aleitamento materno e cuidados com alimentação de bebês. “Esse compromisso tem por finalidade que as famílias em situação de vulnerabilidade social acessem a política pública de saúde, e que tenham maior clareza da importância de alguns cuidados em momentos tão delicados e importantes na primeira infância” esclareceu a subsecretária de Assistência Social, Solange Martins.

No primeiro semestre de 2016, 69.626 (sessenta e nove mil, seiscentas e vinte e seis) famílias foram público do Acompanhamento da Agenda da Saúde. As estratégias para mobilizar as famílias a cumprirem com o compromisso assumido no âmbito do PBF foi discutido no Comitê Gestor Intersetorial do PBF. O grupo se reúne mensalmente e tem representantes de três Secretarias do DF: Sedestmidh, Secretaria de Saúde e Secretaria de Educação. Dentre as estratégias de mobilização, destacou-se o telemarketing ativo para as famílias que deveriam comparecer aos postos de saúde. “Nosso público PBF mais vulnerável precisa de um acompanhamento mais próximo das equipes de saúde, e às vezes é difícil localizá-los. Com essa mobilização, conseguimos esse reconhecimento das famílias para oferecer a atenção devida”, afirmou a médica pediatra representante da Secretária de Saúde no Comitê, Aline César. O registro da TAAS é feito nas unidades de saúde e atingiu 47,59% no período. 

A Taxa de Acompanhamento da Agenda de Saúde (TAAS) contribui para o cálculo do Índice de Gestão Descentralizada (IGD), que avalia a qualidade da gestão do PBF no DF e municípios. Atingidos os índices mínimos estabelecidos pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA), os entes federativos recebem recurso para aprimorar a gestão do PBF. No ano de 2016, o IGD no Distrito Federal foi utilizado para aquisição de carros para equipamentos da Assistência Social que operacionalizam o Cadastro Único de Programas Sociais do Governo Federal e contribuem para a gestão do Programa Bolsa Família.