Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
12/08/15 às 15h54 - Atualizado em 29/10/18 às 11h44

Rede Social usada como multiplicadora da informação

COMPARTILHAR

O trabalho oferecido está calcado no resgate da autoestima dos indivíduos em situação de rua

Brasília(12/8/2015) – Com o objetivo de debater a importância de uma rede social para ser multiplicadora da informação e conhecer o trabalho e o espaço da Instituição “Obras Sociais do Centro Espírita Irmão Áureo” (OSCEIA), aconteceu na tarde de ontem (11), a segunda reunião de Rede Social do Sudoeste/Octogonal com o tema: a população em situação de rua.

A instituição faz um trabalho com voluntários de várias áreas profissionais e sociais e sobrevive de doações. Entre os serviços oferecidos estão: banho matinal, café da manhã, atividades em conjunto ou individual, almoço, lanche, etc.

O trabalho oferecido está calcado no resgate da autoestima dos indivíduos em situação de rua, com destaque para a sua melhora física e social. O serviço ofertado conta, em primeiro lugar, com a própria demanda da região, envolvida em vulnerabilidades pessoais e sociais, devido às desigualdades de oportunidade, renda e acesso às políticas públicas. As condições para a participação nas atividades são famílias e indivíduos que utilizam as ruas como espaço de moradia e/ou sobrevivência.

Guilherme Alcântara – Ascom/Sedhs
EncRede1

O secretário de Desenvolvimento Humano e Social, Marcos Pacco, esteve presente e enfatizou que a questão da população em situação de rua precisa ser revista. Antigamente esse trabalho era feito pela secretaria, de maneira direta, mas atualmente é feito, de maneira conveniada, através da Casa Santo André. “No caso específico da população em situação de rua, precisamos avançar muito na abordagem social, na questão de acolhimento e na construção dos vínculos, porque na política de assistência, a primeira atitude que precisa ser feita é a de construir o vínculo com a pessoa para, depois, tentar reconstruir o vínculo da pessoa com a família, e isso não é feito”, afirmou.

Joaquim Pedro Levino da Silva, diretor da instituição, gostou muito da reunião por ter conseguido reunir lideranças, não só do governo local e da entidade civil, mas principalmente pelos moradores que participaram. “Esta é a primeira vez que eu participo de uma reunião de Rede Social em que um secretário apareça. Estamos com uma pendência junto ao Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente (CDCA) e conseguimos conversar a respeito. Resolvendo a questão do nosso registro, conseguiremos ampliar o nosso atendimento às crianças, porque além de moradores de rua, nós atendemos adolescentes também”, afirmou.

Maria Garrido, psicóloga da Secretaria de Saúde do CAPS Candango, espera pelo fortalecimento da Rede Social. “Quando trabalhamos em rede e ela está fortalecida, a possibilidade de êxito com qualquer serviço ou intervenção é maior, seja para a população em situação de rua, seja para aqueles que chegam buscando os nossos serviços”, disse.

Guilherme Alcântara – Ascom/Sedhs
EncRede2

Os resultados esperados pelo trabalho que será desenvolvido pela OSCEIA possibilitarão mudanças de paradigmas nas famílias, objetivando a redução das violações dos direitos socioassistenciais, seus agravamentos ou reincidência, proteção social às famílias e indivíduos, redução de danos provocados por situações violadoras de direitos, melhoria da qualidade de vida dos usuários e suas famílias, identificação de situações de violação de direitos, redução do número de pessoas em situação de rua entre outros.