Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
10/06/14 às 22h21 - Atualizado em 29/10/18 às 11h44

Proteção para público vulnerável

COMPARTILHAR

PROTEÇÃO PARA PÚBLICO VULNERÁVEL1

Sedest reforça serviços para garantir atendimento especial para pessoas em situação de rua durante a Copa do Mundo 

A Secretaria de Desenvolvimento Social e Transferência de Renda (Sedest) desenvolve ações de prevenção à violação de direitos contra crianças e adolescentes, adultos e famílias em situação de vulnerabilidade e risco social. Na última sexta-feira (06), unidades da Sedest, em articulação com outros órgãos da rede de proteção social, em diversas Regiões Administrativas, realizaram o “Dia D Proteção”. Por meio de oficinas, rodas de conversa e distribuição de material informativo, servidores buscaram orientar a população do DF sobre como denunciar violação de direitos e, assim, proteger crianças e adolescentes em grandes eventos como a Copa do Mundo.  

Outra ação construída foi a ampliação de 100 vagas de acolhimento para adultos e famílias e 20 vagas de acolhimento para crianças e adolescentes. Equipes de abordagem social serão reforçadas para atuar nas áreas de maior concentração, em especial, na Fan Fest, nas imediações do Estádio Nacional de Brasília e no Gama.

A Sedest também atuará, durante toda a Fan Fest, por meio da participação em Plantão Integrado do Comitê de Proteção da Criança e do Adolescente do DF. Além disso, a Unidade SUAS 24h contará com Central de Acolhimento, constituída por servidores da Sedest, para atuar em escala de plantão durante os jogos da Copa em Brasília e da seleção brasileira, dando suporte para gestão das vagas de acolhimento. 

Os Centros Pop Brasília e Taguatinga funcionarão nos dias úteis e serão equipados para possibilitar que pessoas em situação de rua possam assistir os jogos.  

Osvaldo Russo, secretário de Desenvolvimento Social e Transferência de Renda, reforça que a atuação da Sedest é toda construída na lógica do respeito aos direitos humanos da população em situação de rua. “Todo o empenho da equipe da Sedest é para encontrar alternativas que incluam socialmente essas pessoas. Já trabalhamos de maneira integrada com outros órgãos, como Saúde, Educação, Segurança Pública e Defensoria Pública para garantir o acesso dessas pessoas às demais políticas públicas. Por meio das equipes do Cidade Acolhedora realizamos Busca Ativa específica para pessoas em situação de rua. Não existem, no Distrito Federal, acolhimentos forçados, a abordagem tem como objetivo promover direitos. Com a chegada da Copa, todo o esforço é para garantir que essa população não seja vítima de violência”, disse.

Todas as iniciativas foram construídas no âmbito da garantia dos direitos e buscam aproximar, orientar e estabelecer vínculos. Depois do Mundial, a Secretaria dará continuidade aos atendimentos e acompanhamentos realizados, e analisará as ações desenvolvidas para atender as possíveis situações de vulnerabilidade e violações de direitos ocorridas durante ou em decorrência da Copa.