Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
27/09/12 às 19h11 - Atualizado em 29/10/18 às 11h42

O GDF e representantes da sociedade civil participam da Teleconferência Brasil Sem Miséria

COMPARTILHAR

(08/08/2011 – 18:03)

 

Na tarde desta segunda-feira (08), representantes do Governo do Distrito Federal e da sociedade civil participaram da Teleconferência Brasil Sem Miséria no Salão Nobre do Palácio do Buriti. “O objetivo desta teleconferência é mobilizar a sociedade, divulgar e esclarecer o Plano pela Superação da Extrema Pobreza – Brasil Sem Miséria”, explicou a secretária Arlete Sampaio. Antes de iniciar a teleconferência, a secretária falou sobre o Plano pela Superação da Extrema Pobreza – DF Sem Miséria. “É essencial que trabalhemos (GDF) de forma intersetorial para elevarmos as condições de vida da população do DF”, enfatizou.

Participaram da teleconferência os secretários adjuntos da Educação, Erasto Fortes, do Trabalho, Eduardo Lopes, da SEDEST, Daniel Seidel, o subsecretário de Atenção Primária da Saúde, Berardo Augusto Nunan, a diretora de Microcrédito da SETRAB, Edilma Moreira Gabriel, os subsecretários da Sedest, Maria das Graças Batista Carvalho, subsecretária de Planejamento e Gestão da Informação; Ana Lígia Gomes, subsecretária de Assistência Social; Fátima de Carvalho, subsecretária de Segurança Alimentar e Nutricional; Patrícia Souza de Marco, subsecretária de Transferência de Renda, e o chefe da Unidade da Administração Geral (UAG), Rossi da Silva Araújo. Além de representantes da Secretaria de Governo, das Administrações Regionais do Park Way e Vicente Pires, do Movimento Brasil Sem Miséria, do Comitê Intersetorial pela Superação da Extrema Pobreza no DF e servidores da SEDEST.

A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, apresentou o Plano pela Superação da Extrema Pobreza – Brasil Sem Miséria, por meio dos três eixos estruturantes: garantia de renda, acesso aos serviços públicos e inclusão produtiva. “Este não é um Plano uniforme. Temos que ter um olhar diferenciado para as diferentes regiões do Brasil e garantir acesso ao Brasil que cresce”, enfatizou a ministra.

Após quase uma hora de explanação da ministra, os participantes puderam participar com perguntas e sugestões pelo telefone e por e-mail. Os presentes encaminharam, por e-mail, 13 perguntas e 2 sugestões que serão respondidas pelo MDS.