Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
29/01/21 às 12h12 - Atualizado em 29/01/21 às 12h12

Live: Mayara Noronha Rocha fala sobre as ações da Sedes

COMPARTILHAR

Secretária falou sobre os programas, benefícios e ações da Secretaria de Desenvolvimento Social durante entrevista transmitida pela Record TV Brasília

 

A secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha, fez, nesta quinta-feira (28), um balanço das ações na área social do Distrito Federal em live transmitida no canal do YouTube e no Instagram da Record TV Brasília. Em meio à dificuldade de assumir uma pasta tão demandada devido à crise gerada pela pandemia da Covid-19, a gestora destacou a criação do Cartão Prato Cheio, fundamental para manter a segurança alimentar e nutricional das famílias em vulnerabilidade social.

 

O Prato Cheio concede crédito mensal de R$ 250, por um período de três meses, para as famílias comprarem alimentos no comércio local, substituindo a entrega das cestas básicas in natura. O programa, ressalta Mayara Noronha Rocha, dá poder de escolha para os usuários comprarem os produtos que a família precisa.

 

“Quando entrei oito mil cestas eram distribuídas. Agora são mais de 32 mil famílias recebendo o Cartão Prato Cheio. Ele vai muito além da cesta montada sendo entregue em casa. Dá o poder de escolha. Quem é chefe de família sabe o quanto é importante entrar no mercado e poder escolher a marca do arroz que você vai comprar, se vai querer uma carne moída”, reforça. “Fora isso, tem a preocupação de desenvolver pequeno comércio que está dentro das regiões administrativas. Ele está sobrevivendo com o cartão Prato Cheio, que fez a economia girar, trazendo, consequentemente, retorno para o GDF com a recolhimento dos tributos, dinheiro que volta para a população”, afirmou.

 

Segundo Mayara Noronha Rocha, a expectativa é ampliar o programa Prato Cheio. “Além do esforço que estamos fazendo para conceder mais benefícios neste ano, o número de pessoas vai aumentar por conta da rotatividade. O programa atende o usuário por um período de três meses. A renovação depende de uma nova avaliação com a equipe socioassistencial, justamente para garantir que estejam recebendo apenas as famílias que mais precisam.”

 

Restaurante Comunitários

 

Mayara Noronha Rocha também comentou a volta do atendimento presencial nos 14 restaurantes comunitários, em meio ao aumento dos casos de Covid-19 no país. As unidades mantiveram a entrega não limitada das marmitas a R$ 1 para a população em vulnerabilidade social. Mas, agora, oferecem também a possibilidade de o usuário sentar e fazer a refeição no restaurante.

 

“Se fizer essa opção, o usuário tem que respeitar os protocolos de segurança, como uso da máscara, do álcool gel, distanciamento social. Agora, é o funcionário que está colocando a comida no prato. Devido ao grande número de pessoas que frequentam os Restaurantes Comunitários era um temor que nós tínhamos também, de que formasse aglomeração. Mas o serviço está funcionando de forma equilibrada, a própria população tem consciência, se a unidade está um pouco mais cheia, pega a marmita, espera. A consciência da população está fazendo a diferença para que o serviço volte a funcionar de maneira adequada”, pontua a secretária.

 

Auxílio por Morte

 

Questionada sobre a concessão de Auxílios por Morte no DF em razão da Covid-19, a secretária de Desenvolvimento Social confirmou que houve um aumento de solicitações por conta da pandemia. “A secretaria foi surpreendida com o aumento da demanda, porque compramos com uma margem de erro, que é um estudo prévio realizado anualmente, de acordo com o Orçamento. Nós fomos surpreendidos com o quantitativo de pessoas, seja pleiteando as urnas, o funeral, seja para receber o auxílio por morte em pecúnia”, disse.

 

O Auxílio por Morte é concedido quando morre algum integrante da família. O objetivo desse benefício temporário é reduzir as vulnerabilidades provocadas pela morte do ente familiar. O benefício é concedido à família em duas formas: por meio de bens, como doação de urna funerária, velório e sepultamento, incluindo transporte funerário, utilização de capela, pagamento de taxas e colocação de placa de identificação; e pagamento de parcela única no valor de R$ 415. O benefício pode ser acessado após requisição nas unidades socioassistenciais.

 

Concurso

 

Com relação às novas nomeações do concurso da Secretaria de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha reiterou que está empenhada em garantir o aumento do efetivo de servidores. “É uma batalha da secretaria. Estamos comprometidos com esse pleito. Não só porque se coloca no lugar dos aprovados, mas pela população que precisa desse serviço, precisa de servidores qualificados para dar andamento, por exemplo, às inscrições no Cadastro Único, para fazer com que os serviços da Assistência Social funcionem”, disse.

 

“Só em 2020, foram 257 nomeados que tomaram posse na Secretaria de Desenvolvimento Social. São novos servidores que chegaram para ampliar a rede de proteção social do DF. Tenho lutado muito por essas nomeações dos concursados, e vou continuar lutando para conseguir reestruturar a Sedes, que tinha um quadro de servidores totalmente defasado, que não acompanhou o crescimento populacional do DF”, enfatiza. “Mas não depende só de vontade política, temos limitações impostas pela lei. Foi uma vitória poder chamar 257 servidores neste ano de pandemia. Não posso dizer quando serão as próximas nomeações, mas garanto que estamos lutando por isso”, definiu.

 

Cynthia Ribeiro