Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
26/09/12 às 14h55 - Atualizado em 29/10/18 às 11h42

CRAS Ceilândia Sul promove Grupo Socioeducativo para mostrar os direitos de Crianças e do Adolescente

COMPARTILHAR

(08/04/2011 – 19:22)

  

Durante esta sexta-feira, 8 de abril, o CRAS de Ceilândia Sul realizou campanha socioeducativa para a comunidade da região sobre o tema direitos da criança e do adolescente – prevenção à violação de direitos; garantia dos direitos da criança; e, a criança como sujeito de direitos. Foram realizadas atividades recreativas, oficinas de teatro e dança, exibição de filmes e debates com as famílias atendidas pelos CRAS de Ceilândia Sul, COSE de Ceilandia Sul; P Sul e Guariroba, além da divulgação dos trabalhos artesanais das integrantes do Programa Mestre do Saber. Para Nathália Eliza, coordenadora do CRAS, a atividade é importante para fortalecer a atuação da criança como sujeito de direito “Este dia é especial porque além de integrar as crianças de todas as unidades, mostramos que elas têm direitos e que devem procura-los. Aqui, proporcionamos um diálogo entre todos”.

O evento também contou com a participação da ONG Grupo Atitude, parceira da Sedest em atividades com adolescentes, que participou de um debate após assistir o filme “Crianças Invisíveis”, sobre a realidade e dificuldades de sete crianças em países diversos. Para o integrante da ONG, Sérgio de Cássio, essa discussão irá contribuir para a formação de adolescentes mais conscientes “nós temos muitas leis que tratam dos direitos deles, mas ainda não conhecidas e, a partir do momento que um debate é realizado com esta finalidade, eles são mais conscientes e contribuem para uma sociedade melhor”. O estudante Mayke Rodrigues, 17 anos, afirmou que irá fazer sua parte “a gente sai daqui com a mente mais aberta para a busca aos nossos direitos e agora eu sei que se lá na frente acontecer alguma coisa do que conversamos aqui, saberei o que fazer e como evitar para que isso se repita” disse.

Os pequenos também tiveram atividades especiais com brincadeiras e jogos com o recorte nos direitos da criança “a diversão contribui para que elas absorvam melhor os seus direitos. Hoje, falamos sobre o Estatuto da Criança e Adolescente de uma forma diferente com desenhos e pinturas e eles vão fazer um mural sobre a Declaração Universal dos Direitos das Crianças” afirmou o educador social, Braytner Rocha da unidade do P.Sul.  A atividade agradou o estudante Adriano Souza de 11 anos, “gostei muito de tudo, acho que tinha que ter isso mais vezes é muito legal saber de todos os meus direitos”.

No período da tarde, foram realizadas oficinas informativas para as famílias com representantes do Conselho Tutelar e CREAS e da Secretaria de Justiça.