Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
25/09/15 às 20h53 - Atualizado em 29/10/18 às 11h44

Conferência Regional de Assistência Social em Planaltina

COMPARTILHAR

Dando continuidade ao trabalho das Conferências Regionais de Assistência Social

Foi realizado na sexta (25) mais um encontro em Planaltina, no Cras Planaltina. As conferências regionais têm o objetivo de avaliar as deliberações das Conferências Regionais anteriores; analisar os avanços, as conquistas, os desafios e as dificuldades colocadas para a construção e a consolidação do SUAS em cada região administrativa; e indicar propostas para o aperfeiçoamento das ações em âmbito local.

 Foto: Wellington Reis – Ascom/Sedhs
IMG 8621

A Diretora do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (Dicon), Roselita Cosmo de Sousa Sales, abriu os serviços do dia e disse: “Caminhamos sim, mas precisamos caminhar muito mais. Garantimos direitos sim, mas precisamos garantir muito mais. Precisamos fazer valer muitas coisas que serão discutidas, pensadas, repensadas. Precisamos reconduzir nossos processos, retroalimentar nossas parcerias e nos conduzir para um SUAS muito mais pleno e consolidado”.

O Conselheiro, Hernany Gomes de Castro, deu as boas-vindas, em nome do Secretário de Desenvolvimento Humano e Social, Marcos Pacco. Para ele a conferência é um espaço privilegiado e de suma importância para a política de assistência. “Esse é o momento onde podemos avaliar as ações que estão sendo desenvolvidas e espaço onde elegeremos as diretrizes e prioridades para os próximos dez anos. Temos muito a fazer no dia de hoje e nos próximos dez anos. Esse é um momento muito importante para todos nós”.

 Foto: Wellington Reis – Ascom/Sedhs
IMG 8679
As Conferencias são uma grande oportunidade para os moradores locais argumentarem, sugerirem e levantarem suas bandeiras em prol de melhorias para a região onde moram. Para Terezinha Camargo, moradora de Planaltina, e presidente da Associação Mãos Dadas (AMADA), a participação popular é muito importante, porque várias pessoas não sabem dos direitos da comunidade, principalmente a comunidade mais carente. “Estou vendo a diferença que esse tipo de evento está fazendo para a nossa comunidade, especialmente, a mais carente, onde não chega a informação, declarou.  

Na parte da tarde foram formados grupos de trabalho.