Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
25/05/15 às 13h39 - Atualizado em 29/10/18 às 11h44

Caminhada em alusão ao Dia Internacional da Criança Desaparecida

COMPARTILHAR

Evento propõe conscientização contra exploração e sequestro de crianças e adolescentes

Brasília (25/05/2015) – Na manhã de domingo (24), no Parque da Cidade, foi realizada a Caminhada em alusão ao Dia Internacional da Criança Desaparecida. Organizada pelo International Centre for Missing and Exploited Children (ICMEC), entidade internacional que lidera movimentos globais de proteção à criança, contra exploração sexual e sequestro, a caminhada teve apoio da Secretaria de Desenvolvimento Humano e Social (Sedhs). 

O dia 25 de maio é conhecido como o Dia Internacional da Criança Desaparecida, em memória do pequeno Ethan Patz, desaparecido aos seis anos de idade, em 25 de maio de 1979, em Nova Iorque. Pais, familiares e amigos reuniram-se, nos anos seguintes, para recordar esse dia. Na mesma data em 1986, o ex-presidente dos Estados Unidos, Ronald Reagan, declarou o dia em lembrança a todas as crianças desaparecidas. Em Brasília, o Dia Distrital das Crianças Desaparecidas foi instituído pela Lei Distrital nº 4.335/2009.

                                                                                                      Foto: Flávia Aleixo – Ascom/Sedhs

Fotocaminhada2

Desde 2011, a Secretaria de Desenvolvimento Humano e Social atua em parceria com a Secretaria de Segurança Pública e Paz Social no registro e localização de pessoas desaparecidas com base na Lei da Busca Imediata (Lei Federal nº 11.259/2005) e no Decreto Distrital nº 27.084/2006. Esse trabalho articulado propõe-se a aperfeiçoar o atendimento aos familiares no registro, busca e localização dos desaparecidos. 

A atuação da Sedhs dá-se a partir do recebimento mensal das ocorrências registradas pela Polícia Civil do Distrito Federal e pela procura direta por parte das famílias aos serviços assistenciais. As unidades responsáveis pelo acompanhamento das famílias são os Centros de Referência Especializados de Assistência Social (CREAS), que têm como finalidade acolher e realizar o acompanhamento psicossocial junto à família; realizar a busca do desaparecido nas unidades de acolhimento da Sedhs; divulgar o desaparecimento por meio de cartazes na rede socioassistencial; realizar ações de prevenção junto às famílias de crianças e adolescentes com histórico de fuga do lar além de acompanhar o processo de localização da pessoa desaparecida. 

Há ainda o acompanhamento da Sedhs na divulgação das fotos de pessoas desaparecidas nos órgãos do governo de Brasília, como Companhia Energética de Brasília (CEB) e Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb), e a participação em eventos e campanhas que visam orientar a comunidade nesse sentido. 

O secretário de Desenvolvimento Humano e Social, Marcos Pacco, esteve presente e caminhou portando cartazes com fotos dos desaparecidos. “A caminhada chama a atenção para dados alarmantes. Mais de 1.200 crianças e adolescentes desapareceram no Distrito Federal no ano passado. Mobilizações, como a de hoje, têm o efeito de alertar a população e os órgãos estatais para um fato tão dramático em nossa sociedade e promover a busca por soluções para esse grave problema”, disse.

                                                                                                      Foto: Flávia Aleixo – Ascom/Sedhs

Fotocaminhada3

A Diretora de Políticas Públicas para a América Latina e o Caribe do International Centre for Missing and Exploited Children (ICMEC), Kátia Dantas, uma das organizadoras do evento, distribuiu diversos panfletos com dicas para os pais. Para ela, informação e prevenção são elementos chave para evitar o sequestro e o desaparecimento de crianças. “Mais uma vez focamos não só em trazer à luz a realidade de nossos desaparecidos, mas ajudar aos pais e adultos com algumas pequenas dicas de como proteger os seus pequenos, porque juntos podemos trazê-los de volta!”, afirmou.

Também participaram do evento representantes dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras), dos Centros de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), os Centros POP, o Centro da Diversidade, as Unidades de Acolhimento, a CEB, a Caesb, o Serviço Social do Comércio (Sesc), e várias famílias, cujos entes desaparecidos já retornaram à segurança de seus lares, além do International Centre for Missing and Exploited Children (ICMEC).