Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
29/05/13 às 22h31 - Atualizado em 29/10/18 às 11h44

Agentes ambientais aproveitam lixo produzido no Mané Garrincha

COMPARTILHAR

estadio

No último domingo (26), durante o jogo Santos x Flamengo foi recolhida 1,5 tonelada de resíduos sólidos recicláveis.  O lixo, produzido pelos 63 mil espectadores que estiveram no segundo evento-teste do estádio, foi separado e vendido por cooperativas.

A ação faz parte do projeto “Agentes Ambientais” que capacita catadores de materiais recicláveis de cooperativas do DF e alunos da rede pública de ensino profissionalizante e de Educação de Jovens e Adultos (EJA) para atuar na conscientização dos frequentadores dos grandes eventos. Durante a atividade, os agentes também distribuíram 15 mil fitas com a mensagem “Vamos reciclar” para incentivar o torcedor a colaborar com a ação.

“O objetivo é alertar a população sobre a importância social e ambiental da coleta seletiva, além de auxiliar na promoção da inclusão social e produtiva das cooperativas de catadores de materiais recicláveis do Distrito Federal”, explicou a subsecretária de Fomento à Parceria da Sedest, Jaira Puppim.

 Durante o clássico do Brasileirão, 90 duplas vestidas com camisetas verdes e amarelas foram responsáveis por sensibilizar os torcedores, com informações sobre a importância do processo de coleta e a destinação correta dos resíduos produzidos. Eles orientaram o público a depositá-los nas lixeiras corretas: verde para reciclável, e cinza para produtos orgânicos.

 As duplas que atuaram dentro do Mané Garrincha nos dois primeiros jogos também estarão presentes na abertura das Copas das Confederações, em 15 de junho, bem como em eventos no Centro de Convenções durante o período da Copa. O projeto formará, ao todo, 150 duplas de catadores e alunos, totalizando 300 participantes.

Capacitação – Na manhã de sábado (25) foi realizada mais uma capacitação dos Agentes Ambientais. A atividade contou com a participação do Secretário Daniel Seidel.

Daniel agradeceu o empenho e a dedicação de todos os parceiros envolvidos no projeto e dos agentes. “Tenho certeza que o projeto é fundamental e acrescentará informações valiosas para a vida estudantil e na multiplicação desta informação para a sociedade. Esta iniciativa é fundamental para a valorização dos catadores e catadoras do DF”, disse.

Daniel reforçou o compromisso da Sedest com os catadores e catadoras, por meio do Espaço do I-catador. “A Sedest está atenta às questões que envolvem o fechamento do lixão. O Espaço tem como objetivo aproximar as  políticas públicas e disponibilizar informações para os catadores, além de auxiliar na organização dos catadores para, em conjunto com diversas secretarias e com a sociedade civil, acompanhar os projetos que serão implantados no DF para a inclusão sócio-econômica  dos catadores/as de materiais recicláveis”, complementa.

20130525 145638

Agentes de Mobilização Social – O Projeto, coordenado pela Sedest, conta com parceria da Casa Civil, da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, da Secretaria de Educação, do PNUD, do Movimento dos Catadores e do Instituto Arthur Andrade. Inspirado na experiência ocorrida no Evento Internacional “Rio+20”, o projeto capacita catadores de materiais recicláveis de diversas cooperativas do DF e alunos da rede pública de ensino profissionalizante e do EJA, para atuarem como agentes de orientação ambiental.

As duplas que atuaram dentro do Estádio Nacional também estarão presentes na abertura das Copas das Confederações, bem como nas atividades que acontecerão no Centro de Convenções durante o período da Copa. O projeto formará ao todo 150 duplas de catadores/alunos, totalizando 300 participantes.

A expectativa do projeto é difundir para os frequentadores do Estádio e de outros grandes eventos que acontecerão no DF a importância social e ambiental da Coleta Seletiva Solidária, além de auxiliar na promoção da inclusão social e produtiva dos catadores/as e dar visibilidade a suas ações.