Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
27/09/12 às 20h01 - Atualizado em 29/10/18 às 11h42

8ª Pré-Conferência de Assistência Social é realizada na Estrutural

COMPARTILHAR

(13/09/2011 – 15:03)

 

Nesta sexta-feira (09), o Conselho de Assistência Social do Distrito Federal (CAS-DF) e a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social e Transferência de Renda (SEDEST) promoveram a 8ª Pré-Conferência Regionalizada de Assistência Social do Distrito Federal, realizada no Centro de Convivência e Fortalecimento de Vínculos – COSE Estrutural, localizado na Quadra 03 do setor Leste.

            A Pré-Conferência da Estrutural teve como objetivo discutir com os trabalhadores, gestores, sujeitos de direito e as entidades socioassistenciais do Serviço Único de Assistência Social (SUAS) os avanços na consolidação do SUAS, a valorização dos trabalhadores e a qualificação da gestão, dos serviços, programas, projetos e benefícios.

            A presidente do CAS-DF, Ana Lígia Gomes, declarou aberta a Pré-Conferência enfatizando o espaço de diálogo para prestação de contas dos serviços à sociedade local, sempre embasada no Regulamento aprovado pelo CAS-DF. “Conferência significa conferir, saber como a gente opera, fazer o balanço das ações. Vocês precisam avaliar os serviços do SUAS. Dizer o que está bom, o que está ruim e, o mais importante, construir propostas a serem defendidas na IX Conferência de Assistência Social do Distrito Federal pelos 500 delegados eleitos nas Pré-Conferências”, declarou a presidente.

            A administradora Regional da Estrutural, Socorro Torquato, ressaltou o trabalho da SEDEST em promover os direitos sociais de quem realmente precisa por meio de suas unidades na Estrutural. “O Restaurante Comunitário, o CRAS, o CREAS e o COSE são fundamentais para a nossa cidade”, disse a Administradora.

Daniel Seidel, secretário adjunto da SEDEST, apresentou o Plano pela Superação da Extrema Pobreza – DF Sem Miséria por meio de seus três eixos estruturantes: garantia de renda; acesso aos serviços públicos e inclusão produtiva. Também enfatizou a importância em promover os direitos sociais para que a população em situação de extrema pobreza possa se promover socialmente. “Queremos reestabelecer relações cidadãs e não mais relações de troca. Não se negociam direitos”, disse Seidel. E continuou. “Com o CADÚNICO, a comunidade pode fazer o controle social. Isso é transparência!”. Disse da importância dos equipamentos da SEDEST para o fortalecimento da Política de Assistência Social. “Os Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) devem estar nas áreas onde há pessoas extremamente pobres. Como o CRAS PSul, inaugurado em 24 de agosto, que atenderá as comunidades do Sol Nascente e Por do Sol, umas das três áreas de maior vulnerabilidade social do DF”, concluiu.

            Ainda pela manhã, duas mesas temáticas foram organizadas: a contextualização do SUAS e a realidade na Estrutural. Ana Lígia, como subsecretária de Assistência Social, falou sobre a Política Pública de Assistência Social como um reflexo das necessidades sociais – históricas, portanto mutantes ao longo do tempo. Política essa existente para garantir direitos explícitos em Lei. “A Assistência Social é um direito assegurado pela constituição. Não é um favor! E é composta de serviços e benefícios. Os dois são importantes e precisam estar integrados”, sustentou a subsecretária.

            No período da tarde, os participantes se dividiram em grupo e construíram 26 propostas para a assistência social e outras sete propostas de ações intersetoriais, todas apresentadas na plenária final. Ao final, 14 delegados e 6 suplentes foram eleitos e irão defender as propostas da Estrutural na IX Conferência de Assistência Social do Distrito Federal, a ser realizada entre 11 a 14 de outubro próximo, no Centro de Convenções.

Na ocasião, estiveram presentes o secretário adjunto da SEDEST, Daniel Seidel, a presidente do CAS-DF e subsecretária de Assistência Social, Ana Lígia Gomes, a Administradora Regional da Estrutural Maria do Socorro Torquato, as coordenadoras do CRAS Estrutural, Patrícia Quitude, que também é coordenadora do COSE, e do CREAS Estrutural, Amanda Campina, além de representantes das secretarias de Educação e de Governo, da Pastoral da Criança, do Conselho Tutelar da Estrutural, da Associação Viver, da Associação de Centro de Treinamento de Educação Física Especial, da Cooperativa de Reciclagem da Cidade Estrutural (COOPERE), da Operação Resgate Amigos da Educação e do Esporte (ORAEE).

A Pré-Conferência de Assistência Social da Estrutural teve 159 participantes credenciados.